Quarta-feira, 29 de Setembro de 2010

.O bem

No sábado a G. casou, e eu estive lá com os pais e a mana. Lá em casa temos todos um vício comum: o da gula. O pai sempre nos habituou a levar coisas novas para experimentarmos, a apreender a saborear coisas novas, a desfrutar da comida. A mãe sempre nos habituou a cozinhá-las da melhor maneira, mesmo quando não gosta e não prova. Estávamos os quatro em sítios diferentes, no pátio da Plaza Ribeiro Teles, quando me deram a provar tostas de queijo brie gratinado com compota de marmelo por cima. Depois de saborear, a primeira coisa que pensei foi em levar um ao pai. Ele estava entretido com os amigos, e nem me deu muita atenção. Mais à noite perguntei-lhe o que tinha achado, e ele soltou um “não me pareceu grande coisa”. Eu, só para não ficar com cara de Bambi, respondi “para a próxima não ganha”. E a mãe, que estava por perto, disse-me “nunca te arrependas do bem que fazes”. E é nesta frase dela que mais tenho pensado nos últimos dias.

 

L. às 15:01
link | comentar | favorito
9 comentários:
De .Entre o Aqui e o Ali a 29 de Setembro de 2010 às 18:24
Normalmente as mães têm a tendência para dizer aquelas frases que por mais tempo perduram naquela parte do cérebro que está sempre activa: quer seja de dia, quer seja de noite.

Beijo grande com saudades.

V.
De L. a 4 de Outubro de 2010 às 14:23
:) Verdade.

Quando combinamos qualquer coisa...? Para conheceres a minha casinha...? E matar saudades...?

*,
L.
De .Entre o Aqui e o Ali a 5 de Outubro de 2010 às 19:20
:) É só marcar.. Agarra na agenda e chuta para cá uma data :)

Beijo,

V.
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 1 de Outubro de 2010 às 11:01
Devemos sempre fazer o bem e sem esperar nada em troca.
Fazendo o bem, recebemos sempre a compensação.
Além do mais, ao se fazer o bem a alguém estamos, em primeiro lugar, a fazer o bem a nós próprios.
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 1 de Outubro de 2010 às 15:58
É verdade, chegou a ler o conto "O pirilampo"?

Eu estou a 2 contos do final do livro.
Este fim-de-semana termino-o.
Estou a gostar imenso mas a seguir vou ter de ler um livro de uma única história. Até já escolhi o próximo título (que foi também a minha última aquisição).

Mas até achei giro o facto de ler um conto diferente todos os dias. Gostei.
Fiquei com vontade de ler "O Elefante Evapora-se", também do Haruki Murakami, que já tenho na minha prateleira à espera desde que saiu... Mas não será tão cedo. Tenho outros livros à frente na lista de espera

Aproveito para desejar um bom fim-de-semana!
(o meu vai incluir os U2...)
De L. a 4 de Outubro de 2010 às 14:25
Olá!

Que tal de U2? Eu não sou grande fã, confesso. :) E também confesso que não ando a dar a devida atenção ao sr. Murakami. Terminei de ler o conto dos Azedos. :)

*,
L.
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 6 de Outubro de 2010 às 12:02
O concerto dos U2 foi absolutamente fabuloso!

Quanto ao "A rapariga que inventou um sonho", terminei-o no fim-de-semana passado.
O conto os Azedos, eu descreveria, numa palavra, de "marcante".
Ainda que tenha algumas cenas impressionantes (aquela dos corvos, no final da história, a mim impressionou-me um pouco) e apesar de ser bizarro, não deixa de ser um conto interessante. Foi, de facto, um dos contos que mais me marcou. O que mais gostei foi o "Tony Takitani".

Chegou a ler "O pirilampo"?
De L. a 25 de Outubro de 2010 às 18:20
Caro Carlos,

Como deve ter reparado, não tenho tido muito tempo para descansar as asas por aqui. Nem para dedicar a algumas coisas.

Só hoje, enquanto aguardava o check-up no Hospital dos Lusíadas, consegui voltar a dar um bocadinho de atenção ao sr. Murakami.

Faltavam apenas umas páginas para terminar de ler o conto dos caranguejos. Percebi, uma vez mais, que por mais estranhos que sejam os contos dele há sempre alguma coisa para nos identificarmos. Imaginar o 'rapaz novo' sentado, com nojo dele, do que via, do que fez, pode ser colado a tantos momentos.

Depois deste, começou então o do Pirilampo. E só algumas páginas mais à frente percebi a sua insistência. :) Foi bom reencontrar aqueles dois, com um final menos amargo, mais luminoso (prefiro pensar assim).

Peço desculpa pela minha demora...

*,
L.
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 4 de Novembro de 2010 às 11:08
Olá cara L.,

Fico satisfeito por ter lido o conto que lhe sugeri e pelas sensações que lhe proporcionou. Comigo aconteceu o mesmo.

Tal como a L. e ao contrário da minha semana anterior, nesta não ando a ler nada, por falta de tempo e de oportunidade. Apesar de ser um facto que me transcende e de não o poder contrariar, o certo é que me sinto a modos que vazio. Sinto falta do meu fiel companheiro livro.
Vou tentar desforrar-me no fim-de-semana, vamos lá ver.

Abraço,

Carlos Manuel

Comentar

.Eu

.pesquisar

 

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Agora

. .Feliz Natal e um 2019 ch...

. .Das mães

. .Hoje

. .2

. .Hoje morreu um homem bom

. .Ela

. .22

. .Dos fins de semana bons ...

. .Adeus, Inderal! [com ima...

. .O batizado da Aurora

. .A caminho dos 19

. .A queda

. .I'm sixteen going on sev...

. .O nosso ovo

. .Da culpa

.Ontem

.tags

. todas as tags

.Mundo

blogs SAPO

.subscrever feeds