Quarta-feira, 25 de Março de 2009

.4 meses, 3 semanas e 5 dias

elotopia.net
 
Continuo a pensar que devo ter feito alguma coisa muito errada numa vida anterior. Perdi o meu iPod. E acabo de estabelecer um novo recorde: 4 meses, 3 semanas e 5 dias. Eu, que abro a mala dezenas de vezes antes de sair de qualquer lado para ver se lá está tudo, perdi o meu iPod. Algures entre o comboio e a minha casinha. Nem aqueceu o lugar. Depois de uma semana que teve tanto de boa como de má, pensei que merecia algum descanso. Mas enganei-me. Talvez tenha sido por causa da joaninha. No que toca a estas coisas, tenho um azar que aumenta exponencialmente a cada dia que passa… Ou a cada novo gadget que passa pelas minhas mãos. Ainda há menos de duas semanas deixei cair o telemóvel no chão do hospital e lá se foi o ecrã. Com ele foi-se também o meu espectacular telemóvel cor-de-rosa, todas as mensagens que tinha religiosamente guardadas, todos os contactos que estavam nele, todas as notas que orientavam a minha vida ao pormenor, ouso até dizer, toda a minha vida. Pensava eu, até hoje. Porque hoje é que ela desapareceu.
Há cerca de 4 anos, tentava eu ligar para a minha mãe enquanto atravessava a estrada no Campo Pequeno, deixei cair o telemóvel. Já estava no passeio, mas claro que ele bateu exactamente no vinco e, puf, saltou para o meio da estrada, onde vários carros lhe passaram por cima enquanto o vermelho não caiu. Resultado: ecrã partido. Os papás vieram do Alentejo de propósito e ofereceram-se um igual. Que eu fiz questão de deixar no mesmo estado, dois dias depois, ao cair da mesa-de-cabeceira enquanto eu tentava desligar o despertador. Tenho azar. Ou isso, ou fui realmente muito má numa outra vida.
Estou triste. Muito. Com aquela sensação “estrago-tudo-onde-toco”. Por isso, aqui fica um apelo sincero aos utentes da linha da Azambuja: caso tenham encontrado um iPod nano verde, giríssimo, com capa verde e cheio de músicas espectaculares, é meu e era tão bom que mo devolvessem. E até podemos combinar, sei lá, uma recompensa. Estou disposta a tudo, perder duas vezes a vida em tão pouco tempo é mau demais. 4 meses, 3 semanas e 5 dias. Uma má média. Até mesmo para mim.
 
Ps: não sei se isto abona a meu favor, mas entreguei sempre tudo o que encontrei e não me pertencia. Telemóveis, leitores de mp3, até uma nota de 20€ entreguei ao revisor. Hum, mentira. Há um telemóvel perdido nas gavetas do trabalho que encontrámos no meio da relva, eu e a R.. Ligámos para os únicos dois números da lista a explicar o sucedido e nunca ninguém ligou de volta. Até que acabou por ficar sem bateria e por ali ficou.
 
Ps2: Não quero que ninguém me ofereça um novo iPod. Nem um novo telemóvel. Já todos percebemos que é uma grande responsabilidade. E que eu não tenho mãozinhas para isso. Ou tenho. Durante 4 meses, 3 semanas e 5 dias.
Estou:
Lá fora: [silêncio]
tags: ,
L. às 13:19
link | comentar | favorito
2 comentários:
De Rute Caetano a 30 de Março de 2009 às 13:34
Afinal não tinhas perdido, talvez não tenhas tão má sorte como pensas.

Bjos
Rute
De L. a 16 de Abril de 2009 às 09:29
:) Confesso, até mesmo eu consigo ter um bocadinho de sorte... Às vezes... *

Comentar

.Eu

.pesquisar

 

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Agora

. .Feliz Natal e um 2019 ch...

. .Das mães

. .Hoje

. .2

. .Hoje morreu um homem bom

. .Ela

. .22

. .Dos fins de semana bons ...

. .Adeus, Inderal! [com ima...

. .O batizado da Aurora

. .A caminho dos 19

. .A queda

. .I'm sixteen going on sev...

. .O nosso ovo

. .Da culpa

.Ontem

.tags

. todas as tags

.Mundo

blogs SAPO

.subscrever feeds