Sexta-feira, 4 de Fevereiro de 2011

.Ontem

Ontem, quando já me tinha despedido dos pais e fazíamos já caminhos diferentes, o telemóvel tocou. Era a mãe.

- Filhota, esquecemo-nos de te dizer que hoje te achámos mesmo bonita, por dentro e por fora. Estavas com um brilho, com uma cor, com uma voz e um sorriso que já não te víamos há muito tempo. Às vezes andas sem brilho, sem cor, nem sei se é daquilo que comes…

- Deve ser disso. Hoje almocei o cozido que a mãe mandou.

E rimos muito, os três.

 

Há pessoas que não têm noção do efeito sobre nós. Do que uma palavra, um gesto pode fazer. A minha mãe tem. Sabe que até posso mostrar-me indiferente, mas tudo tem consequências. Um dia, não há muito tempo, fizeram duvidar-me de mim. Do meu valor, se sou ou não suficiente, se chego. Não consegui voltar a acreditar como quero e há dias em que duvido mais, como ontem. Se não fossem as tuas palavras, mãe, se não fosse esse conforto que me dás mesmo pelo telefone, o dia de ontem teria custado muito mais.  

Lá fora: "És inconstante."
1 comentário:
De Mina Jesus a 4 de Fevereiro de 2011 às 17:24



LINDO...........beij

Comentar

.Eu

.pesquisar

 

.Setembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30

.Agora

. .Das mães

. .Hoje

. .2

. .Hoje morreu um homem bom

. .Ela

. .22

. .Dos fins de semana bons ...

. .Adeus, Inderal! [com ima...

. .O batizado da Aurora

. .A caminho dos 19

. .A queda

. .I'm sixteen going on sev...

. .O nosso ovo

. .Da culpa

. .A pior do mundo

.Ontem

.tags

. todas as tags

.Mundo


View My Stats
blogs SAPO

.subscrever feeds